domingo, 28 de fevereiro de 2016

As boas mulheres da China - Xinran


Título Original: The good women of China
Autora: Xue Xinran
Tradutor: Manuel Paulo Ferreira
Ano: 2007
Páginas: 256
Editora: Companhia de Bolso
ISBN: 9788535903263

           Depois de quase um ano, voltei a publicar alguma coisa no blog. É minha gente, foram muitos trabalhos, problemas, decisões em 2015. E o blog foi ficando abandonado. Mas as leituras não pararam e, em 2016, resolvi entrar em dois desafios: Desafio de Skoob 2016 e o Desafio Alfabeto Literário do Blog Mundo de Tinta.


         Esse livro é para os dois desafios, isso mesmo, fui espertinha e matei os dois em um único livro: Autores asiáticos e autores com a letra X. E eis que surge Xinran.

       Xinran era uma jornalista que tinha um programa de rádio no qual fazia entrevistas com mulheres da China. Cada capítulo é uma estória, uma mulher diferente, uma entrevista. Cada capítulo é uma dor, uma violência, uma humilhação, um amor perdido, uma estória triste. São entrevistas e reflexões da própria autora.

        Eu chorei, nossa como chorei. Sofri com uma angústia terrível em algumas estórias. Fiquei indignada com outras, e não conseguia entender como um ser humano pode fazer tanta maldade com outro ser humano. Mas Xinran é delicada, mesmo te jogando todo esse sofrimento, a forma como ela aborda cada estória te faz refletir junto com ela. Não é uma estória nua e crua, ela mostra que essas mulheres são fortes, são sobreviventes a sua maneira, são as "Boas mulheres da China".

        Esse livro deveria ser lido por todos que dizem que mulher se faz de vítima, pois, embora as estórias sejam antigas, a violência contra a mulher permanece.

        A leitura desse livro foi lenta, as vezes eu não tinha coragem de lê-lo. Fiquei alguns dias sem conseguir ler, não tinha forças pra isso. Chorei algumas vezes no ônibus, passei alguns dias refletindo. Levei um tempo pra engrenar e encarar as tragédias. Tentava entender como essas mulheres sobreviveram. E como algumas não enlouqueceram.

        Se eu recomendo a leitura? Claro, mas com muito cuidado. Sabendo que não é só um livro, são os relatos de uma vida de sofrimento.

        Se eu leria novamente? Não sei. Talvez um dia. Por enquanto vou ficar nos romances.



2 comentários:

  1. Oi Téte,
    Quando eu li Mensagem de Uma Mae Chinesa Desaconhecida, eu me senti exatamente como você. Um misto de tristeza e indignação, mas Xinran sabe contornar isso te mostrando a sutileza do momento.
    È uma das minhas autoras favoritas.
    Com certeza lerei esse.
    Obrigada por participar do Desafio Alfabeto Literário.
    bjs
    http://blogmundodetinta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Tete
    Vou ler este mês.
    Que bom que voltou a postar aqui!
    Sentimos sua falta no nosso desafio :(
    Bjks mil

    www.blogaclauo.com

    ResponderExcluir